De volta do América após três temporadas, o atacante Max é um dos reforços confirmados pela diretoria que já trabalha no CT alvirrubro. Figura importantíssima nos últimos acessos (Série A em 2006 e Série B em 2011), o "Homem de Pedra" se mostrou feliz e com vontade de, mais uma vez, fazer história com a camisa vermelha e branca.

Thumb img 0059"O América não merece estar onde está, por isso aceitei esse desafio de poder vir pra cá, de poder participar junto deste novo projeto de Luizinho (Lopes) e da comissão técnica. É um desafio e estou me preparando bastante pra isso", disse.

Em quatro passagens pelo Mecão, o Max marcou 45 gols, todos importantes. Mas os mais lembrados são contra o Atlético-MG, no ano de 2006, em pleno Estádio Mineirão, que sacramentou o empate em 2 a 2 e o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, e contra o Paysandu-PA, em 2011, na vitória que garantiu o América na Série B de 2012.

Os números mostram o quão importante o atacante sempre foi para o clube, mas só desenvoltura não será o suficiente para deixar o atleta feliz. Pra ele, o objetivo traçado e o bem comum são mais importantes do que qualquer ganho pessoal.

"O Max ainda tem muito a dar para o América. A torcida pode esperar muita garra, muita determinação e se Deus quiser, muitos gols. Vou trabalhar bastante forte pra isso. Se não conseguir marcar (gol) vou ajudar meus companheiros a marcar. Pra mim não vai importar se só o Max vencer, se só o Max fizer gol. Cada companheiro que estiver ao meu lado, se a gente conseguir fazer os gols, que é o objetivo principal, e conseguir ganhar os três pontos, vou sair muito feliz dos jogos. Vendo a torcida feliz, vendo o ambiente de trabalho todo feliz, isso é mais importante do que só a felicidade do Max", finalizou.

Fotos: Canindé Pereira/América FC

Banner detran